quarta-feira, agosto 21, 2019
Início > Cidades > Campanha incentiva doação de leite humano em Goiás

Campanha incentiva doação de leite humano em Goiás

“Doe Leite materno, alimente a vida”. Este é o lema do Dia de Doação do Leite Humano, celebrado neste 19 de maio, domingo, em todo o País. A coordenadora do Banco de Leite Humano (BLH) do Hospital Estadual Materno-Infantil Dr. Jurandir do Nascimento (BLH-HMI), Renata Leles, afirma que a data contribui para incentivar as mães sobre a importância do aleitamento materno e da doação para outros bebês.

O Ministério da Saúde (MS) alerta que a doação do leite materno é um ato que pode salvar vidas, uma vez que cada 300 mililitros (ml) do alimento sustenta, em média, dez recém-nascidos. Além disso, é o principal fator de redução da mortalidade na infância.  A comemoração tem também o objetivo de divulgar os bancos de leite humano nos Estados e municípios.

Renata Leles informa que a Rede Estadual de Bancos de Leite em Goiás é composta por cinco unidades, duas em Goiânia, duas em Anápolis e uma em Planaltina, cidades que dispõem de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) neonatal, específica para o tratamento de bebês prematuros e com baixo peso. O principal deles é o do Materno-Infantil, que trabalha com um estoque mensal de cem litros de leite humano, doados por mães nutrizes.

“Com o leite humano, o bebê fica protegido de infecções, diarreias e alergias, cresce com mais saúde, ganha peso mais rápido e fica menos tempo internado. O aleitamento materno também diminui o risco de doenças como hipertensão, colesterol alto, diabetes e obesidade”, afirma Renata. Segundo ela, o benefício também se estende à mãe, que perde peso mais rapidamente após o parto e ajuda o útero a recuperar seu tamanho normal, reduzindo o risco de hemorragia e anemia.

No HMI ou em casa

O BLH do Materno-Infantil oferece leite humano para recém-nascidos prematuros e de baixo peso, estimulando o aleitamento materno desde quando foi fundado, há 21 anos. A unidade é abastecida pelo excedente de leite das mães, que realizam a doação no próprio local ou armazenam o produto em casa. O estoque atual, de cem litros, é suficiente para atender somente a demanda do hospital. “A goiana é muito solidária. Sempre atende aos nossos apelos. Este é um momento, pois precisamos aumentar a nossa reserva”, afirma a coordenadora, informando que a unidade tem de 50 a 60 mulheres doadoras cadastradas.

Para coletar o material, o BLH conta com o apoio de veículos e profissionais do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás (CBM-GO). A cabo Ronildes das Chagas Ramos vai até as residências das doadoras, onde também faz um trabalho de orientação às mães. “Atendemos todas as classes sociais e sempre sou bem recebida. É emocionante o meu trabalho”, conta a bombeira, mãe de uma criança de 10 anos, amamentada até os 2 anos.

O serviço existe desde 2012, em parceria do BLH e o CBM-GO. Ao iniciar o trabalho de busca das doações, Ronildes segue uma rota previamente traçada, indo a residências de Goiânia, Trindade, Aparecida de Goiânia, Senador Canedo e Goianira. Após a coleta, o leite é analisado e pasteurizado, quando adquire condições sanitárias para o consumo. O produto é então congelado, podendo ficar armazenado por até seis meses.

O BLH é pioneiro na realização de atividades voltadas para a conscientização da importância do aleitamento materno e da doação de leite, o que contribui para a certificação de Hospital Amigo da Criança ao HMI, concedida por meio da Iniciativa Hospital Amigo da Criança (IHAC), idealizada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).

Solidariedade materna

Há dez anos, quando teve o filho, Ronildes não conhecia os serviços do BLH. “Por isso não fiz a doação. Hoje sei da importância deste ato”, diz. Um ato de solidariedade que faz parte também da rotina materna da empresária Juliana Silva Rodriques, mãe de três filhos e doadora na unidade há muito tempo.

Quando nasceu a primeira filha, há dez anos, ela apresentou uma alta produção de leite. Para evitar problemas como mamas inchadas e feridas, Silva foi aconselhada a procurar ajuda no BLH. “Ali encontrei orientação de como retirar o excesso, guardar tanto para o bebê e também ajudar outros recém-nascidos. Acho que toda mulher deveria sair da maternidade e ir direto para o banco de leite. Ela passará a ter mais confiança na amamentação e ainda ser solidária”, diz a proprietária de uma loja de roupas femininas.

Juliana adotou o mesmo procedimento quando nasceu o segundo filho. O terceiro nasceu há 1 ano e 4 meses, e  ela voltou a ser doadora. “Amamento até hoje; ele leva a mamadeira com leite humano para a escola e ainda doo para o BLH. É um mito que o filho de quem doa pode passar fome. As mulheres precisam aprender que o peito é uma fábrica de alimento, não um estoque”, ensina.

O Dia de Doação de Leite Humano é uma iniciativa para a proteção e promoção do aleitamento materno, voltada para a sensibilização da sociedade para a importância da doação. Os objetivos da celebração, realizada em todo o País, são: estimular a doação de leite materno, promover debates sobre a importância do aleitamento materno e da doação de leite humano e divulgar os bancos de leite humano nos Estados e municípios. A primeira comemoração do Dia Nacional de Doação de Leite Humano foi realizada no ano de 2004.

 SAIBA MAIS 

Quando o leite humano chega ao banco, passa por rigoroso controle de qualidade. O primeiro passo é a pasteurização, que elimina bactérias e vírus. Depois, o alimento é congelado e submetido a um teste de controle microbiológico, para verificar a efetividade da pasteurização. Só depois de aprovado nessa última fase, o leite é liberado para consumo. O incentivo à amamentação é consenso mundial como ação de saúde pública mais eficaz para a prevenção de inúmeros agravos na faixa etária de até 2 anos e combate à mortalidade infantil.

Quem pode doar leite?

Toda e qualquer mulher saudável que esteja amamentando.

Quem recebe?

O leite estocado nos bancos vai para recém-nascidos prematuros ou doentes, internados em unidades de cuidados neonatais ou para filhos de mulheres que, por algum motivo, não conseguem amamentar. 

Onde doar?

Procure o Banco de Leite Humano do Hospital Materno-Infantil de Goiânia, na Avenida Perimetral, Qd. R-1, Lt. 1, Setor Coimbra, ou ligue para 3956-2921, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, para se informar mais.

Por: Mais Goiás

Compartilhe em suas redes sociaisShare on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Pin on Pinterest
Pinterest
Share on Tumblr
Tumblr
Share on LinkedIn
Linkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *