domingo, outubro 20, 2019
Início > Economia > Com Previdência no foco, dólar retoma alta de olho também no exterior

Com Previdência no foco, dólar retoma alta de olho também no exterior

O dólar está volátil no mercado doméstico nesta quinta-feira, 14. Após iniciar a sessão em alta, alinhado ao desempenho positivo da moeda americana em relação a grande parte das divisas de países emergentes exportadores de commodities no exterior, houve uma queda pontual. A divisa retomou a valorização em realinhamento ao viés externo.

A volatilidade entre margens estreitas até a publicação deste texto reflete um compasso de espera do investidor pela reunião à tarde do presidente Jair Bolsonaro, com o ministro da Economia, Paulo Guedes (15h). Em entrevista na quarta-feira, o presidente garantiu que baterá o martelo hoje sobre a proposta de reforma da Previdência a ser enviada ao Congresso.

“Lógico que haverá consenso (sobre a idade mínima) (…) a grande dúvida na idade é se passaria para 62 ou 65 (anos) para homens e para mulheres, para 57 ou 60 (anos). Isso será decidido amanhã” (hoje, quinta-feira), declarou, em entrevista ao Jornal da Record, horas depois de ter tido alta hospitalar.

O leve ajuste de baixa ante o real, mais cedo, decorre de um movimento discreto de realização de ganhos acumulados em 2,43% em cinco das últimas seis sessões, segundo um operador.

Lá fora, o dólar segue forte frente moedas emergentes ligadas a commodities, diante dos riscos de recessão na zona do euro, enquanto a economia dos Estados Unidos se mantém saudável. Mais cedo, a segunda leitura do Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro para o quarto trimestre confirmou os fracos números da primeira estimativa, de expansão de 0,2% sobre o terceiro trimestre e de 1,2% na comparação anual com o período entre outubro e dezembro de 2017.

Está no radar também a principal fase das negociações comerciais entre Estados Unidos e China. Nesta quinta, o secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, e representante comercial americano, Robert Lighthizer, se reúnem em Pequim com o vice-premiê chinês, Liu He, para continuação das negociações comerciais.

Antes disso, representantes de ambos os lados tiveram conversas preliminares entre segunda e quarta-feira. O objetivo agora é tentar fechar um acordo comercial até 1º de março, antes que Washington eleve tarifas sobre mais US$ 200 bilhões em produtos chineses, de 10% para 25%, no dia seguinte. Há relatos, no entanto, de que o presidente dos EUA, Donald Trump, estaria considerando adiar esse prazo em 60 dias.

Às 9h47, o dólar à vista estava a R$ 3,7580 (+0,13%). O dólar futuro para março subia 0,09%, a R$ 3,7610.

Fonte: Mais Goias

Compartilhe em suas redes sociaisShare on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Pin on Pinterest
Pinterest
Share on Tumblr
Tumblr
Share on LinkedIn
Linkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *