quarta-feira, agosto 21, 2019
Início > Geral > Comissões ouvem professores agredidos e investigam episódio

Comissões ouvem professores agredidos e investigam episódio

Foto: Bruno Dornellas/Gab. Celina Leão
Foto: Bruno Dornellas/Gab. Celina Leão


Professores acusam polícia de truculência, abuso e violência
Depois de serem recebidos com flores brancas pelos deputados distritais, um grupo de professores foi ouvido em reunião conjunta das comissões de Educação e de Direitos Humanos, Cidadania, Ética e Decoro Parlamentar da Câmara Legislativa do Distrito Federal. Os presidentes das duas comissões, deputados Prof. Reginaldo Veras (PDT) e Ricardo Vale (PT), conduziram a reunião no plenário da Câmara e ouviram os depoimentos de professores que foram agredidos ontem por policiais do Bope da PM.

Os professores informaram que foram vítimas de “truculência, abuso e violência” por parte dos policiais. O professor Gabriel, um dos envolvidos no episódio de ontem, cobrou punição para os excessos cometidos pelos policiais do Bope. “Nossa arma não é a bala, não é a violência, mas a luta democrática e a solidariedade dos demais trabalhadores do DF”, disse.

O diretor do Sindicato dos Professores (Sinpro), Washington Dourado, adiantou que o departamento jurídico do sindicato vai entregar para as comissões todos os documentos relativos ao caso, como cópias de ocorrências policiais e laudos periciais. Aos gritos de “fora Rollemberg”, os professores ouviram os depoimentos dos colegas agredidos e as manifestações de solidariedade dos deputados distritais.

O deputado Prof. Isravel (PV) disse que não há nada que justifique a violência praticada contra os professores. “Nunca imaginei que iria ver professor algemado e agredido na capital do País. Isto é inaceitável”, lamentou. Já o deputado Chico Vigilante (PT) destacou que algemar um trabalhador que manifesta por seus direitos é uma violência “que dói na alma”. Vigilante defendeu que não se vote nada na Casa do GDF até que o problema com os servidores seja resolvido. Para ele, a luta agora é pela “dignidade”.

O deputado Ricardo Vale explicou que vem conversando com outros distritais e disse que o sentimento é de indignação com a ação do governo e de solidariedade com os professores. “O episódio de ontem não vai ficar impune. A Comissão de Direitos Humanos vai investigar até descobrir de quem foi a ordem para agredir os professores”, garantiu Vale.

Na opinião do deputado Prof. Reginaldo Veras está claro que houve uso excessivo de violência e truculência pelos policiais. Para o distrital, como a PM está vinculada hierarquicamente ao governador, ele é o responsável pela ação de ontem.

Compartilhe em suas redes sociaisShare on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Pin on Pinterest
Pinterest
Share on Tumblr
Tumblr
Share on LinkedIn
Linkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *