quinta-feira, julho 18, 2019
Início > Esporte > Craque é craque: Neymar paralímpico acelera e é ouro com recorde mundial

Craque é craque: Neymar paralímpico acelera e é ouro com recorde mundial

Muito mais do que apenas um “rostinho conhecido”. Daniel Martins ganhou notoriedade ao ser apontado como sósia paralímpico de Neymar. A semelhança realmente impressiona, mas o paulista de Marília vai além, muito além. Recordista e campeão mundial, fez valer o favoritismo nos 400m T20, para atletas com deficiência intelectual, e repetiu o craque do futebol levando o ouro na Rio 2016. Com 47s22, o jovem de 20 anos estabeleceu ainda novos recordes mundial e paralímpico e encerra com perfeição sua participação na primeira Paralimpíada. Luis Paiva, da Venezuela, e Gracelino Barbosa, de Cabo Verde, completaram o pódio.

– Estou acostumado (a ser comparado), mas não acho, não. O pessoal brinca bastante e tenho vontade de conhecê-lo.

Daniel celebrou ainda o sucesso avassalador em tão pouco tempo de carreira:

– É um sonho realizado. Meu sonho era ser campeão mundial, depois paralímpico. Agora, meu sonho é descansar (risos). Superamos muitas dificuldades. Foi uma corrida boa, consegui abrir dos meus adversários. Fim os 300m forte e os últimos 100m seja o que Deus quiser. Agora, é sentar e colocar a cabeça no lugar.

Com sua própria história sendo escrita, Daniel leva a comparação com Neymar com bom humor. E as semelhanças não são meramente físicas. O mais novo campeão paralímpico também começou no esporte se aventurando no futebol, mas em 2013 foi aconselhado a apostar no atletismo por impressionar uma treinadora com sua velocidade. Conselho certeiro: desde então, não parou de colecionar recordes.

A dificuldade para aprendizado na escola fez com que Daniel fosse diagnosticado com deficiência intelectual, o que o levou ao mundo paralímpico. Filho de um pintor de paredes e de uma chefe de cozinha, o paulista investiu no esporte para melhorar de vida. O desempenho no Estádio Olímpico mostra que a opção foi correta.

Favoritíssimo, Daniel liderou a disputa com certa tranquilidade. Ao despontar nos 100m finais muito na frente dos adversários, o público presente no Engenhão enlouqueceu em gritaria. Sem diminuir o ritmo, o “Neymar Paralímpico” cruzou a linha de chegada 61 centésimos na frente do segundo colocado e baixou incríveis 56 centésimos seu próprio recorde mundial.

Desenvolto diante das câmeras como o craque do Barcelona e da Seleção Brasileira, Daniel sorriu, mostrou os bíceps e buscou uma bandeira do Brasil para consagração final. Ovacionado, passeou novamente pela pista azul do Estádio Olímpico, agora em ritmo muito mais lento, e fez a festa com os torcedores. Ele é muito mais do que o “Neymar Paralímpico”, não há dúvidas disso. E só tem três anos de carreira.

Publicado originalmente por: Globo Esporte

Compartilhe em suas redes sociaisShare on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Pin on Pinterest
Pinterest
Share on Tumblr
Tumblr
Share on LinkedIn
Linkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *