quarta-feira, outubro 23, 2019
Início > Política > Deputados do PMDB fazem churrasco de apoio a Cunha

Deputados do PMDB fazem churrasco de apoio a Cunha

 

 

 

 

 

Quase todos os 67 peemedebistas da Câmara participaram

o cunha

Deputados do PMDB realizaram nesta quarta-feira, 9, um churrasco para demonstrar apoio ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), acusado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) de receber US$ 5 milhões de propina no esquema de corrupção da Petrobras.

De acordo com participantes do encontro, quase todos os 67 peemedebistas da Câmara participaram. A única exceção apontada foi o pernambucano Jarbas Vasconcelos, que defende que Cunha se afaste da presidência por causa da acusação.

O almoço, realizado na casa do ex-deputado Glaycon Franco (PTN-MG), foi organizado pelo líder da bancada na Câmara, Leonardo Picciani (RJ), por sugestão dos deputados Lúcio Mosquini (PMDB-RO) e Newton Cardoso Júnior (PMDB-MG). Segundo relatos de três deputados, além de Picciani, Mosquini e Cunha, apenas a deputada Soraya Santos (PMDB-RJ) discursou. O local do encontro também sediou uma série de eventos da campanha de Cunha pela presidência da Câmara.

Cunha agradeceu o apoio dos correligionários, disse que devia à bancada sua condução à presidência da Casa e negou qualquer irregularidade envolvendo o esquema de corrupção da estatal brasileira.

Eduardo Cunha foi delatado pelo lobista Júlio Camargo em julho, o que motivou seu rompimento com o governo, já que o peemedebista atribuiu a denúncia a uma articulação do Palácio do Planalto. Segundo a denúncia da PGR apresentada ao Supremo Tribunal Federal (STF), o parlamentar teria recebido propina para viabilizar a contratação de dois navios-sondas da Petrobras no período entre junho de 2006 e outubro de 2012.

Cunha negou a acusação e disse em discurso no almoço que “não existe e nem vai existir nenhuma prova” contra ele. Os outros oradores manifestaram apoio ao presidente da Casa em suas falas.

Conversas paralelas

Temas espinhosos para o governo como impeachment e aumento da carga tributária só apareceram genericamente em conversas paralelas, mas sem a participação de Cunha.

Nas rodas de conversa, discutiu-se a necessidade de o PMDB reunir sua bancada para discutir política o que, segundo alguns deputados, não vêm acontecendo desde que Picciani teve encontro a sós com a presidente Dilma Rousseff.

Também foi discutida a insatisfação de alguns parlamentares com a demora na liberação de cargos e recursos e com o senador Eunício Oliveira (PMDB-CE), que estaria “ficando com tudo”, o que motivou o afastamento quadros da legenda, de acordo com deputados. O deputado Danilo Forte (CE), por exemplo, está trocando o PMDB pelo PSB e foi ao almoço apenas para se despedir.

Ao deixar o almoço, Cunha disse que o encontro foi uma confraternização.

 

Com informações do Estadão Conteúdo.

Compartilhe em suas redes sociaisShare on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Pin on Pinterest
Pinterest
Share on Tumblr
Tumblr
Share on LinkedIn
Linkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *