quarta-feira, novembro 13, 2019
Início > Geral > Distrital recomenda implosão de duas escolas para evitar ‘tragédia’

Distrital recomenda implosão de duas escolas para evitar ‘tragédia’

O presidente da Comissão de Educação, Saúde e Cultura da Câmara Legislativa, deputado Professor Reginaldo Veras (PDT), apresentou algumas conclusões de relatório sobre a situação de escolas públicas do Distrito Federal, na sessão da terça-feira (22). Algumas das situações mais críticas foram verificadas na Escola Classe 415 de Samambaia e na Escola Classe Areal. “Ambas têm de ser implodidas, sob risco de acontecer em breve uma tragédia”, alertou.

“Não se trata de uma visão catastrófica. É real. Deveríamos ter vergonha de colocar crianças nessas escolas”, completou o distrital, que aconselhou o Tribunal de Contas do DF a visitá-las. O relatório leva em consideração visitas a 90 escolas de 14 regionais de ensino, realizadas desde o ano passado. O objetivo é identificar problemas de infraestrutura que afetam também os trabalhos pedagógicos.

O relatório aponta para a necessidade de construção de novas escolas, para atender a demanda por vagas. “Um exemplo disso é a região do Paranoá, onde a carência é de cerca de 7,5 mil vagas”, destacou Prof. Reginaldo Veras. Além disso, o distrital defende a ampliação e reforma das instalações já existentes; e a construção de quadras poliesportivas, auditórios e salas de informática.

Outro problema apontado diz respeito à educação integral. Segundo o relatório, grande parte das escolas que possuem essa modalidade de ensino não apresentam “condições básicas” para atender os estudantes. “Algumas parecem apenas um depósito de meninos”, lamentou o deputado.

Apesar dos problemas verificados, o presidente da Comissão de Educação fez questão de elogiar o empenho dos professores das escolas públicas do DF. “Esses sim são verdadeiros heróis”, concluiu.

Compartilhe em suas redes sociaisShare on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Pin on Pinterest
Pinterest
Share on Tumblr
Tumblr
Share on LinkedIn
Linkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *