sábado, setembro 21, 2019
Início > Esporte > Marta diz que que jogo contra Itália é ‘vida ou morte’

Marta diz que que jogo contra Itália é ‘vida ou morte’

derrota de virada por 3 a 2 para a Austrália, na última quinta-feira, em Montpellier, pela segunda rodada do Grupo C do Mundial Feminino, já é passado. Isso é o que pensa a meia-atacante Marta, eleita seis vezes a melhor do mundo, sobre a situação da seleção brasileira na competição, que nesta terça enfrenta a Itália, em Valenciennes, para tentar a classificação às oitavas de final. Para ela, essa partida é de “vida ou morte” para o Brasil.

“A maior lição (contra a Austrália) foi que ganhamos o jogo, mas não conseguimos enxergar. A equipe não apresentou um desempenho que pudesse nos proporcionar o resultado certo e é algo em que precisamos trabalhar. Todos nós temos que estar em sintonia um com o outro”, disse Marta, nesta segunda-feira, em uma entrevista publicada no site oficial da Fifa.

“É a vida ou a morte para nós agora. Precisamos da vitória (contra a Itália) para nos qualificar. Temos um lado competitivo, mas se criarmos chances, temos que pegá-las e terminar as jogadas, colocando a bola no gol”, afirmou a brasileira.

Contra a Austrália, Marta jogou apenas o primeiro tempo, mas teve tempo para abrir o placar com um gol em cobrança de pênalti. Esse tento a colocou na história como a primeira a marcar em cinco Mundiais diferentes e igualar o recorde do atacante alemão Miroslav Klose marcando o seu 16.º gol em Copas do Mundo.

“Muito feliz, mas tudo depende do trabalho em equipe. Marta não seria a melhor artilheira da história da Copa do Mundo sem a ajuda de seus companheiros de equipe e de toda a equipe. É legal e me motiva também. É definitivamente algo que me empurra quando estou em campo”, comentou a meia-atacante.

Sobre sua rotina antes de entrar em campo, Marta revelou que ainda se sente nervosa. “Eu fico muito nervosa, o que é realmente ridículo. Eu vou ao banheiro muito. Meu Deus! (risos). Não é nada, no entanto. É só para eu ir embora (risos). Não posso comer e também tenho um momento para falar com Deus. Eu sempre uso a porta da frente para entrar no ônibus e sair. Pode parecer loucura, mas é apenas algo que faço. Quando a bola começa a rolar, eu apenas coloco tudo fora da minha mente e me concentro no trabalho em mãos”, disse.

Por: Notícias ao Minuto

Compartilhe em suas redes sociaisShare on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Pin on Pinterest
Pinterest
Share on Tumblr
Tumblr
Share on LinkedIn
Linkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *