terça-feira, agosto 20, 2019
Início > Sociedade > Pare. Bloqueie. Conte.

Pare. Bloqueie. Conte.

 

Pare (de fazer bullying), conte para seus pais e bloqueie os valentões virtuais. Estas são as três dicas do youtuber irlandês Luke Culhane, de 13 anos, para vencer o cyber bullying (os ataques e ofensas via internet). Também uma vítima, ele produziu, editou e estrelou o vídeo #CreateNoHate que mostra como as mensagens de ódio que são enviadas pelo ambiente virtual da internet machucam na vida real. A peça foi compartilhada no início desta semana no YouTube para aproveitar o Dia Internacional da Internet Segura, comemorado dia 09/2.

O filme de Luke, que é filho de um premiado fotógrafo de casamentos, viralizou rapidamente e ganhou o noticiário internacional. Do jornal local de sua cidade, Limerick Leader, à Fox americana, vários veículos já entrevistaram o estudante. A primeira parte de #CreateNoHate mostra as mensagens ofensivas chegando e causando ferimentos como olho roxo e braço quebrado. A cenas são pontuadas com recursos gráficos e, ao final, Luke fala sobre estatísticas sobre cyber bullying e pede que as vítimas façam como ele: contem o que está acontecendo aos pais ou professores, bloqueiem ofensores e, claro, jamais façam o mesmo com alguém.

Usar uma criança real, que também lançou sua própria campanha nas redes sociais contra o cyber bullying, foi a estratégia criativa de outra iniciativa do gênero lançada na semana passada pelo Ad Council, o departamento de comunicação de interesse público dos EUA. O filme abaixo conta a história de uma menina (o nome dela e de sua mãe foram preservados na peça) que estava sofrendo bullying por usar óculos. Ela fez um post onde com uma foto segurando um cartaz onde se lia: “eu uso óculos e me orgulho disso. Compartilhe se você é contra o bullying”. O post foi compartilhado mais de 3 milhões de vezes e seis milhões de pessoas enviaram mensagens de apoio à menina.

Nos EUA, cerca de 13 milhões de jovens sofrem bullying por ano, de acordo com o Ad Council, que pretende mudar a cultura do bullying no país. Uma das iniciativas apoiadas pela instituição é o The Bullying Project, um hotsite onde histórias podem ser compartilhadas pelas vítimas e os pais recebem dicas de como ajudar os filhos que passam pelo problema. Com informações do Adweek.

Compartilhe em suas redes sociaisShare on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Pin on Pinterest
Pinterest
Share on Tumblr
Tumblr
Share on LinkedIn
Linkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *