terça-feira, junho 25, 2019
Início > Saúde > Pneumonia e diarreia matam 1,4 milhão de crianças por ano, diz UNICEF

Pneumonia e diarreia matam 1,4 milhão de crianças por ano, diz UNICEF

A pneumonia e a diarreia juntas matam 1,4 milhão de crianças por ano — a maioria em países de baixa e média renda. Essas mortes ocorrem apesar de as duas doenças serem evitáveis com soluções simples e de baixo custo: amamentação exclusiva, vacinação, cuidados primários de saúde e redução da poluição do ar no interior das residências.

A conclusão é do relatório do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) lançado na sexta-feira (11) “Uma são muitas: colocando um fim à morte de crianças por pneumonia e diarreia” (disponível em inglês).

A pneumonia continua sendo a principal causa da morte de crianças com menos de cinco anos, tendo tirado a vida de quase 1 milhão em 2015 —uma a cada 35 segundos, e matando mais do que doenças como malária, tuberculose, sarampo e Aids juntas.

Quase a metade de todas as mortes de crianças por pneumonia está ligada à poluição do ar, um fato que, segundo o UNICEF, os líderes mundiais deveriam ter em mente durante o debate em curso na 22ª Conferência das Partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (COP22).

“Vemos claramente que a poluição do ar ligada às mudanças do clima está prejudicando a saúde e o desenvolvimento das crianças ao provocar pneumonia e outras infecções respiratórias”, afirmou Fatoumata Ndiaye, diretora-executiva adjunta do UNICEF.

“Dois bilhões de crianças vivem em áreas onde a poluição do ar excede os padrões internacionais, e muitas adoecem e morrem como resultado. Os líderes mundiais que participam na COP22 podem ajudar a salvar vidas de crianças comprometendo-se com medidas para reduzir a poluição do ar associada às mudanças do clima e fechando acordos para investir na prevenção e nos cuidados de saúde”, completou Ndiaye.

Assim como a pneumonia, a diarreia entre crianças pode, em muitos casos, estar associada a níveis de precipitação mais baixos decorrentes das mudanças do clima. A disponibilidade reduzida de água potável deixa as crianças sob maior risco de contrair doenças diarreicas e de ter seu crescimento físico e cognitivo prejudicado.

Cerca de 34 milhões de crianças morreram de pneumonia e diarreia desde 2000. Sem maior investimento em medidas-chave de prevenção e tratamento, o UNICEF estima que mais 24 milhões de crianças morram de pneumonia e diarreia até 2030.

“Essas doenças têm um enorme impacto na mortalidade na infância e o seu tratamento tem um custo relativamente baixo”, afirmou Ndiaye. “Mas elas continuam recebendo apenas uma pequena parcela do investimento global em saúde, o que não faz nenhum sentido. Essa é a razão pela qual pedimos mais investimento global para intervenções de proteção, prevenção e tratamento que sabemos que são eficazes para salvar a vida de muitas crianças”.

O UNICEF recomenda também um maior financiamento nos cuidados de saúde infantil em geral e com uma particular atenção aos grupos de crianças especialmente vulneráveis à pneumonia e à diarreia — as mais jovens e as que vivem em países de baixa e média renda.

O relatório mostrou que aproximadamente 80% das mortes de crianças ligadas à pneumonia e 70% associadas à diarreia ocorrem durante os dois primeiros anos de vida. Além disso, países de renda média e baixa abrigam 62% das crianças menores de cinco anos em todo o mundo, mas contabilizam mais de 90% das mortes na infância em decorrência de pneumonia e diarreia globalmente.

Dados da UNICEF

Compartilhe em suas redes sociaisShare on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Pin on Pinterest
Pinterest
Share on Tumblr
Tumblr
Share on LinkedIn
Linkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *