quinta-feira, junho 20, 2019
Início > Saúde > Porque é que doenças autoimunes atacam mais as mulheres?

Porque é que doenças autoimunes atacam mais as mulheres?

Quando o sistema imunitário, que foi ‘feito’ para defender e proteger o seu corpo, decide atuar contra ele, estamos perante uma doença autoimune. Uma condição que tem vindo a ser associada mais a mulheres, apesar de não haver uma explicação óbvia para tal fenomeno, mas que na sua base poderia estar relacionada com hormonas.

Contudo, um nova investigação vem sugerir que a verdadeira explicação pode estar na componente genética. No estudo publicado online em ‘Nature Immunology’, é possível constatar genes específicos entre os diferentes sexos que estão associados a uma maior probabilidade de a pessoa ser portadora de uma doença autoimune.

No total, a equipa de investigadores da Universidade do Michigan, nos Estados Unidos, descobriu 661 genes que se manifestavam de forma diferente dependendo dos sexos. Muito tinham funções imunitárias que se sobrepunham a caminhos genéticos e genes de risco relacionados com doenças autoimunes. No final, os investigadores acabaram por descobrir aquilo que chamaram de VGLL3, um dos maiores reguladores do sistema imunitário da mulher.

Neste estudo a equipa focou-se também em examinar como as doenças autoimunes afetam a pele. Para tal fizeram biopsias à pele de 31 mulheres e 51 homens para que pudessem notar quais as diferenças genéticas entre os dois géneros e não a nível hormonal.

Atualmente já foram detetados mais de 80 tipos de doenças autoimunes, desde a psoríase – que causa inflamações na pele -, até ao lúpus. O que poucos talvez saibam é que é possível ter mais do que uma ao mesmo tempo. O que se nota até ao momento é que as mulheres são sempre as mais afetadas.

Postado originalmente por Notícias ao minuto

Compartilhe em suas redes sociaisShare on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Pin on Pinterest
Pinterest
Share on Tumblr
Tumblr
Share on LinkedIn
Linkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *