quarta-feira, novembro 13, 2019
Início > Cidades > SANEAGO pede uso comedido de água até a chegada das chuvas

SANEAGO pede uso comedido de água até a chegada das chuvas

A gerente da SANEAGO em Anápolis, Tânia Valeriano, recomenda o uso comedido de água até que haja uma regularidade de chuvas para a retomada da vazão nas duas bacias que abastecem a população, através dos sistemas DAIA e Piancó.

Em entrevista à Rádio Manchester, nas manhã desta terça-feira, 22/10, a técnica da empresa explicou que diversas medidas têm sido tomadas para evitar um agravamento ainda maior da situação, sobretudo, na região Sul, que é abastecida pelo Sistema DAIA, onde está havendo um rodízio no abastecimento com 12 horas de fornecimento e 24 horas sem fornecimento de água. Tânia Valeriano, porém, observa que tem havido dificuldade em fazer com que o rodízio seja cumprido fielmente, por conta da baixa vazão na captação.

Problemas

Tânia Valeriano destacou que dois problemas contribuem para a situação: a falta de chuvas e a redução brusca da vazão causada por retiradas irregulares de água da bacia do Rio Caldas, através de desvios, barragens, dentre outros tipos usos não autorizados. A Secretaria Estadual de Meio Ambiente detectou mais de 60 desvios de água irregulares.

Para minimizar o problema e também evitar um colapso no abastecimento, inclusive, às empresas do Distrito Agro Industrial de Anápolis, 22 bairros da região Sul, onde foi possível tecnicamente, já estão sendo supridos com o abastecimento de água do Sistema Piancó.

Tira de um lado, falta de outro. É que a retirada de água para atender os bairros da região Sul causou desequilíbrio no sistema. E, para tentar manter o Sistema Piancó estável, a SANEAGO, de acordo com Tânia Valeriano, vai fazer a interligação de 17 poços semi-profundos no Sistema Piancó, garantindo um incremento de vazão de 110 litros por segundo.

No sistema Piancó, quando em sua capacidade plena, a média diária de vazão é de em torno de 900 litros por segundo. No Sistema DAIA, quando operando também dentro da normalidade, a vazão média diária é de 300 litros por segundo.

Emergencialmente, a SANEAGO está garantindo o abastecimento por meio de carros-pipa. Mas, a prioridade é para unidades de saúde, unidades de ensino e outros pontos de concentração pública. O atendimento com carros-pipa não está sendo feito diretamente às unidades consumidoras residenciais e comerciais, porém, em alguns casos, os caminhões levam água até os reservatórios de determinadas regiões.

Tânia Valeriano, Gerente da Saneago em Anápolis
Compartilhe em suas redes sociaisShare on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Pin on Pinterest
Pinterest
Share on Tumblr
Tumblr
Share on LinkedIn
Linkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *