segunda-feira, novembro 11, 2019
Início > Cidades > Trabalhadores de 15 cidades goianas já sinalizaram adesão à greve geral

Trabalhadores de 15 cidades goianas já sinalizaram adesão à greve geral

Trabalhadores de mais de 15 cidades goianas já sinalizaram adesão à greve geral desta sexta-feira (14), que ocorre em resposta à proposta de Governo sobre a reforma da Previdência. Ao todo, mais de 30 entidades de Goiás devem participar dos protestos contra a reforma e cortes no orçamento da Educação. A informação foi repassada à imprensa na manhã desta quinta-feira (13), durante entrevista na sede da Central Única dos Trabalhadores (CUT), no Setor Central, em Goiânia.

Na Educação, o posicionamento é de greve. A Universidade Federal de Goiás (UFG) e o Instituto Federal de Goiás (IFG) aderiram ao movimento e suspenderam as aulas. A rede pública estadual e municipal de Goiânia também irão suspender as atividades. Conforme a CUT, cerca de 99% das unidades, entre escolas e CMEIs, participação da manifestação. O Sindicato dos Professores do Estado de Goiás (Sinpro Goiás) também confirmou participação. Assim, trabalhadores da rede privada de ensino também poderão participar do movimento.

Além da Educação, diversas outras categorias estão em processo de paralisação. Metalúrgicos, servidores dos Correios e de bancos manifestaram apoio e adesão da greve de 24h. Trabalhadores que atuam na área de Saneamento, Energia e Saúde também apoiam o ato. “Categorias estratégicas, com bases fortes, se mobilizaram em Goiás. Esta greve não é do serviço público, mas sim de todos os trabalhadores que são contra essa reforma que retira direitos da população”, disse João Pires, diretor do Sint-Ifes e do Fórum Goiano contra as Reformas Trabalhista e da Previdência.

O objetivo, segundo Mauro Rubem de Menezes Jonas, presidente da CUT, é mobilizar a população e promover debate sobre a reforma. “A greve é contra a reforma da Previdência; por mais recurso na Educação e pelo desenvolvimento para a geração de riqueza e emprego, que é o grande problema do Brasil. Isso é para mostrar para a população que o que Governo está propondo é uma mentira. Isso é um abismo social.

Segundo ele, apesar de o protesto contra a reforma ser o eixo central da mobilização, a pauta da greve geral é extensa. “O problema não está na Previdência. O problema está no sistema econômico, do desempregado. Hoje estamos com 30 milhões de pessoas que não recebem nada no país e a tendência é aumentar. Não podemos aceitar acabar com a seguridade social, o direito da sociedade. Não podemos deixar isso acontecer. Por isso a greve vai proteger a Previdência, que está em iminência, a nossa Educação que está ameaçada, e, é claro, a proteção dos direitos que estão na Constituição e estão ameaçados”, afirmou.

Em Goiânia, a manifestação está marcada para as 10h desta sexta-feira (14), no coreto da Praça Cívica. No interior, diversas cidades como Formosa, Iporá e Catalão estão programadas para os protestos.

Confira programação dos atos: 

Anápolis; 8h – Praça do Ancião

Aparecida de Goiânia – 10h – ato em Goiânia

Catalão – 8h – concentração no centro da cidade, em frente a Caixa Econômica Federal

Formosa – 8h – Praça Anísio Lobo

Goiás – 13/6, 19h – Audiência Pública “Educação no Contexto de Crise” – 14/06 – 8h – Praça do João Francisco

Goiânia – 10h – Coreto da Praça Cívica

Itapuranga – 8h Centro Cultural Cora Coralina

Itumbiara – 15h30 – Praça da República

Jataí – 9h Concentração Sintego

Itapirapuã – 10h – ao lado da feira coberta

Luziânia – 9h30 – Ato em Brasília, na Praça do Buriti

Mineiros – 8h – concentração no Sintego

Porangatu – 16h30 – Praça da Matriz

Quirinópolis – 8h – Praça da Rodoviária

Silvânia – 8h – Feira Coberta Central

Trindade – 8h – debate sobre a Reforma da Previdência no Sintego – 9h – Ato em Goiânia

Por: Mais Goiás

Compartilhe em suas redes sociaisShare on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Pin on Pinterest
Pinterest
Share on Tumblr
Tumblr
Share on LinkedIn
Linkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *