quinta-feira, maio 23, 2019
Início > Mundo > UE reforça apoio de emergência com mais R$ 218 milhões à Venezuela

UE reforça apoio de emergência com mais R$ 218 milhões à Venezuela

União Europeia (UE) anunciou nesta quarta-feira (27) o reforço em 50 milhões de euros (cerca de R$ 218 milhões) da ajuda humanitária de emergência à Venezuela, totalizando 117,6 milhões (R$ 210 milhões) desde 2018, numa época em que a crise no país “continua a piorar”.

“Uma vez que a crise social e econômica na Venezuela continua a piorar, a Comissão Europeia vai alocar mais 50 milhões de euros em apoio de emergência para ajudar os venezuelanos mais necessitados”, informa a Comissão Europeia em comunicado.

“A UE permanece na vanguarda da mobilização internacional para apoiar o povo venezuelano. Estamos a trabalhar no fortalecimento da cooperação internacional para garantir que a ajuda humanitária, incluindo este novo compromisso, chega às pessoas necessitadas dentro e fora da Venezuela”, vinca a Alta Representante da UE para a Política Externa, Federica Mogherini, citada pela nota.

A chefe da diplomacia europeia salienta que esta ajuda será feita “de maneira imparcial e por meio de canais independentes, sem qualquer tentativa de politizar” a ação.

Já o comissário europeu para a área da Ajuda Humanitária, Christos Stylianides, vinca que “a UE está ao lado do povo da Venezuela neste momento crítico”, precisando que o apoio anunciado se destina a abrigo de emergência, cuidados de saúde, assistência alimentar, serviços de nutrição, acesso a água potável e saneamento, bem como à educação das crianças.

O anúncio vem no seguimento do acordado no Grupo de Contato Internacional para a Venezuela. A segunda reunião deste grupo decorre na quinta-feira em Quito, no Equador, e integra 16 delegações de países latino-americanos e europeus, algumas com representação de alto nível.

O encontro na capital equatoriana, que será antecedido por uma reunião técnica preparatória na quarta-feira, será copresidido pelo ministro dos Negócios Estrangeiros do Equador, José Valencia, e por Federica Mogherini.

Entre os países da UE que já confirmaram presença na reunião figuram Portugal, Alemanha, Espanha, França, Itália, Holanda, Reino Unido e Suécia. A UE trabalha desde outubro passado na criação deste grupo de contato e o seu lançamento foi acelerado em virtude do agravamento da crise política na Venezuela. O grupo de contato tem como meta definir um plano, em 90 dias, para um futuro processo político pacífico na Venezuela.

A crise política na Venezuela agravou-se em 23 de janeiro, quando o opositor e presidente da Assembleia Nacional (parlamento), Juan Guaidó, se autoproclamou presidente interino e declarou que assumia os poderes executivos de Nicolás Maduro.

Cerca de 50 países, incluindo a maioria dos países da União Europeia, entre os quais Portugal, reconheceram Guaidó como presidente interino da Venezuela encarregado de organizar eleições livres e transparentes naquele país.

Na Venezuela, a confrontação entre as duas facções tem tido repercussões políticas, econômicas e humanitárias. Os mais recentes dados das Nações Unidas estimam que o número atual de refugiados e migrantes da Venezuela em todo o mundo situa-se nos 3,4 milhões. Só no ano passado, em média, cerca de 5.000 pessoas terão deixado diariamente a Venezuela para procurar proteção ou melhores condições de vida. Com informações da Lusa.

Por: Notícias ao Minuto

Compartilhe em suas redes sociaisShare on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Pin on Pinterest
Pinterest
Share on Tumblr
Tumblr
Share on LinkedIn
Linkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *